quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Como nunca

O que é amar: Estimar? Matar?

Penso que este é um tema que deveria ter vivido ontem. Mas por estar a vivê-lo num palco da Fnac, faço de conta que ontem é hoje. Aliás ontem é sempre hoje.

Amar é simplesmente desejar o melhor para o outro, nem que tal implique a minha infelicidade. Tenho esta teoria de há muito: que a felicidade de um implica a infelicidade de outro, claro doseadas, em permanente mutação. Hoje sou eu feliz. Amanhã, serás. Requer humildade. Como se a felicidade/infelicidade se contrabalancassem. Ao jeito de um Butterfly effect. Se amanhã, a terra acordar a tremer, se os seus peitos se esfolarem contra o ceú, a Lua despertará mais bela do que nunca por que os seus joelhos partidos, esses parecer-nos-ão tão inequivocamente firmes, seguros de si.
E fará sentido exigirmos do outro que mude para "y" quando à partida nos apaixonámos por "x"? Porque nos apaixonámos por "x", então? Tudo isto é estranho. Mas verdade absoluta.


"Só se ama o que não se possui completamente".
- Marcel Proust

Amar é sonhar, porque o sonho, nunca se possui. Pelo menos nesta forma de vida que apreendemos ser.

6 comentários:

Ch disse...

É um ponto de vista, mas nota aí uma certa incoerência...se o que faz a outra pessoa feliz implica a tua infelicidade, ao mesmo tempo, se a amas, fará a tua felicidade saber que a fazes feliz.
Complicado a esta hora? Mas é outro point of view

Sophia disse...

Entretanto, fui-me deitar acerca do que tinha escrito e pus-me a pensar....e cheguei a outra conclusão, sobre os estados x y...: estou errada..porque não considerei a mutação do sujeito. Ou seja quem se apaixonou também pode ter mutado para z....
No que me referes...tens em parte razão, mas nao te esqueças...somos (quase) todos uma cambada de egoístas....we, first! Eu espero nao ser (sempre)assim.

Sophia disse...

Fazer feliz...claro! Aliás começo a concordar com (salvo erro-isto terá de ser verificado) Oscar Wilde que a felicidade não existe, existem sim momentos de felicidade.

Ch disse...

Exactamente...se não existissem momentos de infelicidade...nunca saberias identificar momentos de felicidade...ou pelo mneos não seriam ãlguns tão arrebatadores ou "preenchedores"

Sophia disse...

LOL...Estamos possuídas pela questão:) é bom sinal!

Ch disse...

Possuidissimas teoricamente!