segunda-feira, julho 16, 2018

Solidão invertida

Pois eram: dias após o falecimento do meu pai, estava na Superfm a dar uma entrevista em modo zombie. Um pouco perdida sim, mas abraçada pelo João e pelo Sérgio. A Telma Dourado da Superfm ajudou a superar cada minuto desta entrevista sem perceber o que navegava cá no fundo: a morte- a solidão invertida para quem não parte. Para quem fica. 

quinta-feira, maio 03, 2018

Pano de cena


De regresso às intempéries.
O mundo sonha. E nós estamos para o mundo. O mundo está para nós como nós estamos para  o mundo- vértice a vértice, como pano de cena, onde tudo se esconde e tudo se revela.

sábado, novembro 04, 2017


Nos teus braços-abraços

Nos teus braços-abraços, musicava todas as tuas palavras. A cor do teu brilho despia-me de todas as dores e medos. Havia, em nós, como que um rodopio rolando sob as nossas preces para que nos fingíssemos. Nada estava certo, porque estava certo.


sexta-feira, maio 27, 2016

sábado, outubro 04, 2014

a.

Nada silencia a noite.

sexta-feira, outubro 03, 2014

A minha verdade

É nos próximos passos, que a ansiedade fermenta. O novo disco dos Cinemuerte está para sair em breve, e tenho aquela sensação de nada-sensação. A malta vai estranhar o disco como quem estranha uma pessoa que não reconhece.
Estranhamente, esta fase da banda é a maior paixão da minha vida.
Esta frase fica-me tão mal. Mas é a minha verdade.
Somos imperfeitamente perfeitos.

quinta-feira, janeiro 02, 2014