terça-feira, fevereiro 28, 2012

Contra-amor

Enquanto a comida se repousa sobre o lume, como uma mulher se deita para servir o amor, em lenta combustão, avermelho a chama.


Cair no contra-amor, é um pecado maior: mata a existência. Somos para ser.
Como foi possível cair num contra-amor, pedirem-me para morrer? Amor, podes morrer por favor?

4 comentários:

Anónimo disse...

já estava habituado aos teus pequenos momentos partilhados e ás nossas curtas palavras trocadas no FB.
miss you girl.

Sophia disse...

Hei de voltar.

Anónimo disse...

o FB é o grande satã, como dizem os árabes :)

where to travel disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.